Foram recentemente publicados no Journal of Biogeography resultados importantes relativamente às laminárias dos Açores (LINK). Numa nova publicação onde são analisados os níveis de diversidade genética da espécie Laminaria ochroleuca ao longo de toda a sua área de distribuição, é posto em evidência o elevado grau de diversidade e originalidade da população açoriana da espécie. Tais resultados sugerem uma considerável antiguidade e um período de isolamento relativamente longo da mesma. A elevada diversidade genética encontrada nos Açores sugere ainda a ausência de estrangulamentos populacionais (“bottlenecks”) importantes, realçando o papel do arquipélago como refúgio estável e favorável à espécie mesmo durante os períodos glaciares. O artigo tem autoria principal de Jorge Assis e teve contribuição do nosso ex-colega Fernando Tempera, tendo sido promovido no âmbito do projecto MARFOR, do qual o Centro Okeanos é parceiro.

Os “proceedings” da 9ª edição da International Fisheries Observers and monitoring conference, que decorreu em Vigo em Junho de 2018, já estão disponíveis:

https://ifomcvigo.com/wp-content/uploads/2018/08/proceedings-9th-ifomc.pdf

Relembramos que este ano foram oradores no evento o coordenador do POPA, Miguel Machete e o Director Regional das Pescas, Luís Rodrigues, apresentando palestras sobre o trabalho de monitorização de pescarias e recursos marinhos que se tem feito nos últimos 20 anos nos Açores.

O projeto MISTIC SEAS 2 “Implementação de uma abordagem sub-regional coerente e coordenada para a monitorização e avaliação da biodiversidade marinha na Macaronésia para o segundo ciclo da Diretiva-Quadro Estratégia Marinha DQEM”, é coordenado pelo Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia (FRCT), e o IMAR/Açores é subcontratado.