Painhos encontrados desorientados são devolvidos ao mar

Entre o dia 20 e 22 de outubro, foram encontrados um total de quatro painhos-de-cauda-forcada (Hydrobates leucorhous) desorientados no Faial. O primeiro foi na madrugada do dia 20 durante a missão no CONDOR, quando a tripulação do navio de investigação Arquipélago encontrarou num cantinho do seu laboratório, e o colocaram em uma caixa até se aproximarem de terra. Nesse mesmo dia ao chegar ao Faial libertaram-no, e este com uma rajada de vento segui em direção ao Pico.

Os outros três painhos caíram na segunda feira de manhã. Dois em bom estado na Gare Marítima, que foram anilhados pela Elizabeth Atchoi, da Equipa das Aves, e libertados pelo Vigilante da Natureza Valter Madeiros, na Baía de Porto Pim. O outro painho encontrou-se molhado das penas na sede da empresa turistica Naturalist, pelo que se deixo repousar e foi libertado nessa tarde, quando já tinha as penas completamente secas.

Esta pequena ave migradora (19-22 cm de comprimento e 45-48 cm de envergadura), que se alimenta principalmente de crustáceos, mas come também pequenos peixes e lulas, nidifica em ilhas oceânicas do Atlântico Norte e do Pacífico Norte. A espécie é muito frequente em toda a ZEE em torno dos arquipélagos oceânicos, tanto na migração outonal como primaveril, com destaque para os Açores, sobretudo durante ou logo após grandes temporais.

Classificada na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas como vulnerável, os painhos-de-cauda-forcada estão ligados a várias ameaças, entre as quais se destaca a predação por grandes gaivotas e alcaides, mas também pelo possível impacto da poluição luminosa, mesmo fora das áreas de reprodução.